Make your own free website on Tripod.com
Os Deuses Gregos do Olimpo

 

Os gregos eram politeístas, ou seja, acreditavam em vários Deuses, e não em uma divindade só. Os 12 principais e mais poderosos deuses do Olimpo eram: Zeus*, ou Júpiter, pai de todos e o mais poderoso. Sentava-se num trono com uma águia aos pés, tendo na mão um raio. Quando queria vingar-se de alguém, arremessava o raio, seguido dum trovão - como um índio arremessa a lança. Depois vinha Hera, ou Juno, mulher de Zeus e a primeira das deusas; Juno trazia sempre consigo um pavão.

Havia Posseidon, ou Netuno, que era irmão de Zeus e governava os mares num carro puxado por um par de cavalos marinhos, tendo na mão o tridente - uma enorme espécie de garfo, com três pontas. Netuno provocava tempestades, ou fazia as tempestades cessarem com uma simples pancada do tridente nas ondas. Havia Hefestos, ou Vulcano, o deus do fogo. Era um ferreiro manco, que trabalhava numa oficina dentro da Terra. A fumaça de sua forja saía pela cratera dos vulcões - que se chamaram assim por causa dele, Vulcano.

Havia Apolo, que era o mais belo de todos e governava a luz e a música. Todas as manhãs Apolo aparecia no Horizonte guiando o carro do Sol e dava volta no céu para iluminar o mundo. Havia Ártemis ou Diana, irmã gêmea de Apolo, deusa da lua e das caçadas. Diana vivia de arco e flecha em punho, perseguindo os animais. Havia Ares ou Marte, o terrível deus da Guerra, que só estava satisfeito quando via os homens a se matarem uns aos outros. Havia Hermes ou Mercúrio, o mensageiro dos Deuses. Tinha asas no capacete e usava uma vara mágica de paz, que posta entre duas pessoas em luta imediatamente as fazia amigas.

Dizem que sua vara mágica tinha duas cobras enroladas, pois uma vez encontrou duas cobras engalfinhadas, e interpôs a vara mágica para as separar. Em vez de se separarem, as cobras se enrolaram na vara e dali nunca mais saíram. Chamava-se Caduceu, essa vara mágica de Mercúrio.

Havia Atena ou Minerva, a Deusa da sabedoria, que nasceu dum modo especial. Júpiter teve uma dor de cabeça horrível, que não passava com nenhum remédio. Desesperado, chamou Vulcano para que lhe rachasse a cabeça com um golpe de malho. Vulcano obedeceu; mas em vez de saírem os miolos de Júpiter para todo lado, saiu, isso sim, a sua filha Minerva.

Havia Afrodite ou Vênus, a Deusa do amor. Vênus era a mais bela das Deusas, como Apolo era o mais belo dos Deuses. Nascera da espuma do mar e tinha um filho semideus de nome Eros ou Cupido, que era especialista em flechar corações com flechas invisíveis. Havia Vesta, a deusa do lar e da família. Havia Deméter, ou Ceres, deusa da agricultura. E, por final, Havia Hades, ou Plutão...

Vocês devem estar estranhando, pois com Ceres já são doze, e este Plutão é demais na Dúzia. Aqui está a minha explicação: eram doze no Olimpo, mas havia ainda este Hades, irmão de Júpiter, que tomava conta do Inferno, e tinha a seu serviço o cão Cérbero , que tomava conta do inferno para não deixar nenhum vivo entrar e nenhuma sombra, que é como chamavam as almas, sair. A dúzia era realmente de treze. Isto falando só dos graúdos, porque com os deuses menores e semideuses eram mais. Haviam as Três Parcas, as Três Górgonas, as Nove Musas. Só aqui temos quinze. Mas isso já é outra história...


*Os nomes dos deuses gregos estão na ordem sendo o primeiro, seu nome grego, e o segundo, seu nome romano.

Sobe


Fonte: História do Mundo, Monteiro Lobato



Voltar à lendas