Make your own free website on Tripod.com

Histórias de Hyperion

 

Hoje deixarei aqui escrito um texto de minha autoria, que fiz há tempos e revelarei aos que vierem a esta Home Page. Se chama WarLock.
 



A HISTÓRIA DE WARLOCK

Ano de 3098. Um navio, cruzando o oceano Pacífico, encontrou uma tempestade.
Desviado de sua rota, afundou, e dentre as mais de 5000 pessoas do navio, somente duas sobreviveram. Ambos foram parar em uma ilha desconhecia, não listada no mapa.
Lá, encontraram seres que, até então, só haviam existido em histórias de crianças: Dragões. Os Dragões cuidaram dos ferimentos dos náufragos, e estes viveram durante alguns meses lá, até o dia em que perceberam, longe da ilha, navios de busca procurando náufragos do acidente.

Somente um dos homens ficou. Ele quis ficar para estudar os Dragões e poder ser seu amigo. O outro homem foi com os navios, na esperança de voltar para casa. Chegando à sua casa, nos EUA, o homem contou tudo o que havia vivido na ilha, e contou sua localização, que havia sido anotada pelo navio de resgate. Iniciou-se uma guerra entre os países para decidir quem ficaria com a ilha, que foi batizada de Nova Era.

Os cientistas dos EUA criaram um vírus, denominado WarLock. Porém, devido a ataques de surpresa aos EUA, o vírus foi liberado, gerando caos total. Não era possível capturá-lo, já que os que entravam em contato com o vírus, mesmo que com luvas ou qualquer outra proteção, sofriam mutações e se tornavam verdadeiras anomalias, e dentro de poucos dias morriam.

E então, num planeta que havia sido povoado por milhões e milhões de pessoas, agora havia menos de 500 habitantes.
As poucas pessoas que ainda não tinham sido contaminadas pelo vírus se refugiaram em Nova Era, o único lugar, até então, que não havia sido contaminado pelo vírus. Ao verem os humanos chegarem, e ao se depararem com aquela situação crítica, os Dragões resolveram proteger a ilha com sua magia. Eles criaram uma barreira mística, tão forte que não deixava o vírus entrar.

Os humanos, por sua vez, ao verem que teriam de conviver juntamente com Dragões, pediram aos cientistas que haviam se salvado para que arranjassem um meio de sair dali. Os cientistas trabalharam durante 6 meses numa máquina que abriria um portal dimensional, e eles passariam a viver em outra dimensão.

Porém, depois do trabalho concluído, os humanos tiveram uma surpresa: do portal dimensional, vieram criaturas lendárias, que só existiam em filmes e RPG's: criaturas como Orcs, Trolls, Minotauros, Licantropos e outros. Os Dragões renomearam a ilha, para que o povo jamais se esquecesse de que foram eles que salvaram suas "vidas inúteis", como dizem eles hoje. A ilha teve seu nome mudado para WarLock, mesmo nome do vírus que havia destruído o planeta.

As criaturas que vieram do portal, com exceção de algumas raças, como Halflings, Elfos, Anões e alguns duendes, vendo que jamais poderiam viver em paz com os humanos, se mudaram para um arquipélago a leste de WarLock, que devido a estar muito perto da ilha, também sofria os efeitos da magia dos Dragões. Estes, criaram uma ilha menor para si, a sudoeste de WarLock, também protegida contra o vírus. Toda a civilização dos humanos havia se perdido com o vírus, e estes tiveram que começar tudo do zero.

Durante anos eles, os monstros e os Dragões viveram em paz, até o dia do nascimento de Deymos, um Dragão que não era como os outros. Ele era ganancioso, e se pudesse mataria todas as criaturas da face da terra. Até o dia que Deymos cresceu. Seu irmão gêmeo, Fobos, era o contrário dele. Fobos era bondoso, fiel e gentil. Mas, continuando, Deymos cresceu e obteve poder, pois era ajudado por todos os Dragões que detestavam a raça humana (metade da população dos Dragões).

Deymos criou uma ilha para si próprio a norte de WarLock, e uma caverna subterrânea para seus seguidores. A caverna foi chamada de Inferno. Agora, Deymos quer dominar WarLock e destruir todos os seus habitantes, até mesmo os Dragões ordeiros. Somente uma pessoa tem o poder para destruir Deymos antes que ele destrua todos os habitantes de WarLock, e é sobre ele a história que vou contar agora...